Mudar o regime Servir Portugal

Manuel Beninger

domingo, 4 de janeiro de 2015

JANTAR DE REIS BRAGA 2015

Caros amigos

O JANTAR DE REIS vai realizar a sua 6ª edição no dia 17 de Janeiro de 2015, no Meliá Hotel, em Braga.
Como já é tradição deste evento seremos honrados com a notável presença de S.A.R. o Senhor Dom Duarte, Duque de Bragança.
Esta iniciativa, já com tradição na cidade de Braga, assenta numa vontade transversal a muitos actores locais, movimentos e associações monárquicas, bem como a individualidades com relevância política e social na região.
Na continuidade do que já tem sido feito, teremos no JANTAR DE REIS BRAGA 2015 a promoção do património cultural, nomeadamente a gastronomia, o vinho e o artesanato. Serão convidadas confrarias portuguesas, associação de artesãos e empresas de produtos regionais.
São objectivos do jantar de Reis Braga:
- a promoção da cultura portuguesa, nos seus saberes e fazeres mais tradicionais aos seus saberes e fazeres mais empreendedores, nele promovemos os produtos portugueses locais com a presença das Confrarias Portuguesas, tanto gastronómicas como báquicas, para além de outras de cariz muito diversificado. Neste contexto de elevação de Portugal, dos portugueses, da sua produção e dos seus produtos temos sempre como convidado de honra o S.A.R. Dom Duarte de Bragança como símbolo nacional da nossa História, cultura, tradições, língua e fronteiras, diríamos da nossa Identidade.
Também porque o momento histórico que vivemos há uns anos para cá nos tem pedido mais união e cooperação, o JANTAR DE REIS BRAGA 2015, tem como segundo objectivo:
- a solidariedade, apoiando este ano de 2015 os Bombeiros Voluntários de Braga, com todo o proveito material do mesmo.
O contributo Solidário para o JANTAR DE REIS BRAGA 2015 é de 25 € (vinte e cinco euros), por pessoa.

Despeço-me na expectativa de poder contar com a sua presença.
Manuel Beninger


Inscrições: manuel.beninger@gmail.com / + 351 969 685 260

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

ADESTE FIDELES, HINO PORTUGUÊS, MAGNÍFICA OBRA D'EL REI DOM JOÃO


ADESTE FIDELIS - Hino Português tocado em todo o mundo no Natal. "Adeste Fideles" é o título do chamado Hino Português escrito pelo Rei D. João IV de Portugal. Foram achados dois manuscritos desta obra, datados de1640, no seu palácio de Vila Viçosa. Muitos outros alegam a autoria desse hino, a John F. Wade, que não pode ter composto a obra, já que o seu manuscrito data de 1743. O mais provável é que Wade tenha traduzido o Hino Português, como era chamado em Londres na época e ficado com os louros. D. João IV de Portugal, “O Rei Músico” nascido em 1604 foi um mecenas da música e das artes, assim como um sofisticado autor; foi também compositor e durante o seu reinado possuiu uma das maiores bibliotecas do mundo. A primeira parte da sua obra musical foi publicada em 1649. Fundou uma escola de música em Vila Viçosa de onde saíam músicos para Espanha e Itália e foi aí, no seu palácio, que se acharam dois manuscritos desta obra. Esses escritos (1640) são anteriores à versão de 1760 feita por Wade. De entre os seus escritos podemos encontrar “Defesa da Música Moderna (Lisboa, 1649) ano em que o Rei D. João IV lutou contra o Vaticano para conseguir a aprovação da música instrumental nas igrejas. Uma outra famosa composição sua é Crux fidelis, um trabalho que permanece popular nos serviços eclesiásticos. 

Adeste fideles læti triumphantes,
Venite, venite in Bethlehem.
Natum videte
Regem angelorum:
Venite adoremus (3x)
Dominum.

Deum de Deo, lumen de lumine
Gestant puellæ viscera.
Deum verum, genitum non factum.
Venite adoremus (3x)
Dominum.

Cantet nunc 'Io', chorus angelorum;
Cantet nunc aula cælestium,
Gloria! Soli Deo Gloria!
Venite adoremus (3x)
Dominum.

Ergo qui natus die hodierna.
Jesu, tibi sit gloria,
Patris aeterni Verbum caro factum.
Venite adoremus (3x)
Dominum.




Existem outros versos em latim em várias versões, como por exemplo:

En grege relicto, humiles ad cunas,
Vocati pastores adproperant:
Et nos ovanti gradu festinemus,
Venite adoremus (3x)
Dominum.

Æterni parentis splendorem æternum
Velatum sub carne videbimus
Deum infantem pannis involutum
Venite adoremus (3x)
Dominum.
Other versions:
Cantet nunc hymnos chorus angelorum
Cantet nunc aula cælestium,
Gloria in excelsis Deo!
Venite adoremus (3x)
Dominum.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Um Feliz e Santo Natal

Um Feliz e Santo Natal desejamos a todos os nossos amigos.

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

«Em Braga... As estrelas brilham mais» - JANTAR DE REIS BRAGA 2015

JANTAR DE REIS BRAGA 2015
17 DE JANEIRO
Parabéns Arq. Manuel Loureiro, responsável criativo pelo logótipo do JANTAR DE REIS BRAGA 2015, pelo excelente trabalho realizado.

O nosso muito obrigado.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

«Ribau Esteves recebeu delegação da APAM» - in Diário de Aveiro

Jornal "Diário de Aveiro" de 4 de Dezembro, pág. 3
A Associação Portuguesa de Autarcas de Inspiração Monárquica (APAM) foi recebida na autarquia, por ocasião de um périplo de apresentação da APAM no Norte e Centro do país. Estiveram presentes alguns elementos da direcção, encabeçados pelo presidente Manuel Beninger, além de Luís Barreiros, vice-presidente da Assembleia Geral da APAM, e Fábio Reis Fernandes, presidente da Real Associação da Beira Litoral. Por parte da autarquia, além de Ribau Esteves, estiveram na reunião a vereadora Raquel Madureira e a secretária da mesa da Assembleia Municipal de Aveiro, Maria José França, presidente da concelhia do CDS-PP de Aveiro, simpatizante da causa monárquica.
Esta reunião, a pedido da APAM, serviu de apresentação da estrutura e seus objectivos bem como expor algumas das questões que preocupam a associação que, com poucos meses, “já congrega algumas centenas de associados, num espírito de cooperação entre eleitos locais e de procura de soluções comuns para os desejos das populações”, sublinha a APAM.

Investidura de SS AA RR o Príncipe da Beira e da Infanta Dona Maria Francisca na Real Irmandade da Santa Cruz e dos Passos da Graça

Fonte: José Tomaz Mello Breyner

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

«Ribau Esteves recebeu delegação da APAM» - in TV Minho

Num dia muito simbólico para todos os monárquicos a Associação Portuguesa de Autarcas de inspiração Monárquica foi recebida na autarquia aveirense, por ocasião de um périplo de apresentação da APAM no norte e centro do país.

Estiveram presentes alguns elementos da direcção, encabeçados pelo Presidente, Manuel Beninger. Por parte da autarquia aveirense, para além do Presidente Ribau Esteves, estiveram na reunião a vereadora Raquel Madureira e a secretária da mesa da Assembleia Municipal de Aveiro Maria José França, presidente da concelhia de Aveiro do CDS-PP, simpatizante da causa monárquica.

Esta reunião, a pedido da APAM, serviu de apresentação da estrutura e seus objectivos bem como expôr algumas das questões que preocupam a associação que, com poucos meses, já congrega algumas centenas de associados,  num espírito de cooperação entre eleitos locais e de procura de soluções comuns para os desejos das populações.

O autarca de Aveiro, embora seja republicano, é um entusiasta deste novo modelo de participação, e mostrou-se disponível para cooperar com a associação em iniciativas nas áreas da acção social, turismo, ambiente rural, empreendedorismo e conservação do território, projectos que estão a ser elaborados no âmbito das parcerias que a APAM está a formar.

A APAM, como entidade de novageração, integra todos os autarcas, independentemente da sua vertente ideológica, desde que respeite princípios básicos e de dignidade, e política, defendendo, como é natural, o modelo de regime monárquico como o melhor para o desenvolvimento do país e dos municípios.

in TV Minho

SS.AA.RR. os Duques de Bragança participaram nas comemorações do 1.º de Dezembro em Lisboa

SS.AA.RR. os Duques de Bragança participaram, como usualmente, nas comemorações do 1.º de Dezembro em Lisboa, nomeadamente na Homenagem aos Heróis da Restauração, na Praça dos Restauradores, e na Missa de Acção de Graças, na Igreja de São Domingos.
Créditos fotográficos: Isabel Santiago Henriques

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

«Associação Portuguesa de Autarcas de inspiração Monárquica esteve ontem em Guimarães» - in TV Minho

acima
Pelo Feriado da Liberdade

A APAM - Associação Portuguesa de Autarcas de inspiração Monárquica esteve hoje em Guimarães onde, simbolicamente, colocou uma coroa de flores no monumento a D. Afonso Henriques, o primeiro Rei de Portugal. Esta foi a forma que entendemos como ideal, no seu simbolismo, para honrar um DIA que deveria ser Feriado, que deveria ser o Feriado da Liberdade.

A identidade do nosso país não se compagina com atitudes de subserviência perante nenhuma entidade supra-nacional. Aliás, foi para combater a supremacia de um país estrangeiro sobre as nossas terras que um conjunto de valorosos homens lutou contra os espanhóis, restaurando a independência da nação mais antiga da Europa.

A defesa da Restauração deste feriado como o Feriado que transmite, sem questões ideológicas ou de regime, a exacta sensação de sermos um país uno, e onde todos colaboramos para o mesmo deveria ser alvo de discussão pública e de debate nacional.

Apelamos à rápida restauração do 1º de Dezembro como o Feriado da Liberdade, o Feriado da Independência, o Feriado de Portugal. Estes valores não são passíveis de troca, entrega ou negociação - São valores de Estado, que as nossas devem respeitar.

Por Portugal!

Fonte: TV Minho

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Mensagem de S.A.R. a assinalar o 1.º de Dezembro: Portugueses sofrem com políticas "irresponsáveis"


O duque de Bragança, Duarte Pio, defendeu hoje a necessidade de uma "revolução cultural", quando os portugueses sofrem as consequências "gravíssimas" de políticas "economicamente irresponsáveis e moralmente desajustadas".


Na mensagem a assinalar o 1.º de Dezembro, dia que se celebra a Restauração da Independência de Portugal após o domínio filipino, o chefe da Casa Real Portuguesa também se referiu aos "sinais muito recentes de que a Justiça finalmente está a funcionar, com plena independência entre os poderes".

A Justiça portuguesa "tem dado extraordinárias provas de independência, apesar das péssimas condições com que os juízes contam para realizarem o seu trabalho", disse.

Nas últimas semanas, duas investigações levaram à detenção de responsáveis ou ex-responsáveis em cargos públicos, como o ex-primeiro ministro José Sócrates, indiciado de fraude fiscal, branqueamento de capitais e corrupção e, no âmbito da operação relacionada com corrupção nos vistos ´gold´, do ex-presidente do Instituto dos Registos e Notariado, António Figueiredo, e do ex-diretor nacional do Servilo de Estrangeiros e Fronteiras, Manuel Jarmela Palos.  

"Num momento em que os portugueses sofrem as consequências gravíssimas de muitos anos de políticas economicamente irresponsáveis e moralmente desajustadas, precisamos de uma 'revolução cultural'", declara o duque de Bragança. 

"A ignorância e o relativismo moral estão na base da nossa crise actual", acrescenta.

Para Duarte Pio, "Portugal e os portugueses vivem dias amargurados" porque a pátria "não se comporta como país livre e independente" e enumera um conjunto de problemas, como o desemprego, que obriga as famílias a desempenharem um papel supletivo que "o Estado já não alcança", a necessidade de emigrar, sobretudo entre os mais jovens e qualificados, ou a "pouca confiança" em instituições como a Justiça e a Assembleia da República. 

Nas eleições autárquicas, os portugueses manifestaram o desejo de ver independentes nos cargos municipais, escolhidos pessoalmente pelos eleitores, recorda o chefe da Casa Real Portuguesa, apontando ainda sinais de que os cidadãos se movimentam para procurar alternativas políticas para as eleições legislativas.

"Para todo este desejo de renovação que perpassa pelo nosso país, estou convicto que a Instituição Real seria muito importante, ao aproximar a população das suas instituições políticas", salienta Duarte Pio. Por isso, insiste que a sua família "está preparada para assumir os compromissos que o nobre povo português" lhe quiser confiar. 

"O pensamento republicano é de curto prazo, interessa-lhe resolver os assuntos a quatro anos, até às próximas eleições, é um pensamento muito provisório", afirma.

O duque de Bragança apela ainda aos governantes portugueses para que Portugal tenha uma intervenção "em defesa das vítimas do fanatismo no Próximo Oriente". 


Fonte - Texto: Lusa / Foto: José Tomaz Mello Breyner

sábado, 29 de novembro de 2014

«Associação dos Autarcas Monárquicos marca presença num evento internacional na Áustria» - in TV Minho

A APAM – Associação Portuguesa dos Autarcas Monárquicos marcou presença, mais uma vez, num evento internacional a convite do movimento monárquico austríaco “Schwarz-Gelbe Allianz".

Manuel Beninger, presidente da direcção da APAM, participou nas cerimónias de celebrações do 98.º aniversário da morte de Sua Majestade o Imperador Franz Joseph (Francisco José) e do 102.º aniversário do nascimento do filho do último Imperador da Áustria, Dr. Otto von Habsburg, em Viena.

Fonte: TV Minho

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Celebrações do 98.º aniversário da morte de S.M. o imperador Francisco José da Áustria

A Associação Portuguesa dos Autarcas Monárquicos fez-se representar nas cerimónias por ocasião das celebrações do 98.º aniversário da morte de S.M. o imperador Franz Joseph (Francisco José) e do 102.º aniversário do nascimento do filho do último Imperador da Áustria, Dr. Otto von Habsburg, em Viena.

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

«Manuel Beninger quer aproximar Braga da capital austríaca» – in “Correio do Minho”

O deputado municipal Manuel Beninger esteve na semana passada em Viena (capital da Áustria), onde participou em várias reuniões com vista a possível geminação entre Braga e aquela cidade austríaca. Manuel Beninger pretendeu, desta forma, abrir as portas para visitas do presidente da câmara bracarense, Ricardo Rio, à Áustria, e do burgomestre de Viena a cidade minhota.
"Esta é uma forma de diplomacia económica e cultural muito importante para Braga e sinto-me à vontade e orgulhoso do meu contributo para a sua realização. Braga e Viena partilham um passado romano em comum"", refere Manuel Beninger que expôs, de seguida, os objectivos da visita, que passam pela criação de condições para estreitar relações entre empresas e associações de Braga e de Viena.
Jornal "Correio do Minho" de 26 de Novembro, pág. 7